jump to navigation

Conheça mais sobre: Jornalismo Esportivo 20/06/2010

Posted by André Roedel in Uncategorized.
trackback

O jornalismo esportivo é uma das editorias mais lidas e discutidas na imprensa mundial. A paixão dos leitores por seus clubes e modalidades esportivas é que impulsiona e alavanca as vendas de jornais dessa temática. Tanto é a procura que todos os jornais possuem um caderno totalmente dedicado aos esportes (principalmente ao futebol). De acordo com o jornalista e publicitário João José Werzbitzki em seu website, o jornal diário Lance! (edição do Rio de Janeiro), específico em esportes, é o décimo jornal mais vendido no país com 130.166 exemplares comercializados por dia. Só para ter uma noção da amplitude, de acordo com o mesmo levantamento, o Super Notícias (de Minas Gerais) é o jornal mais vendido do país com 294.824 exemplares.

O doutor em Letras Deonísio da Silva, em matéria publicada no Observatório da Impressa, lembra que “o futebol tem uma influência tamanha no imaginário do brasileiro que o caderno de esportes é a primeira e talvez a única parte do jornal que é lida de cabo a rabo pelo leitor médio. Depois é que ele vai dar uma espiada nas outras páginas”. No mesmo texto, Deonísio fala sobre as transformações dos cadernos esportivos em época de Copa do Mundo e da constante introdução de outras informações nas matérias (como dados históricos de um determinado país). Essa inserção de outros dados e informações acaba agregando um conhecimento extra aos leitores. Infelizmente não são todos os diários que se preocupam com isso.

Uma grande complicação que temos no cenário do Jornalismo Esportivo brasileiro é a falta de cobertura de outros esportes. Isso se dá pela cultura do país, que é considerado a terra do futebol. “Ao pensar em jornalismo esportivo, automaticamente vem à mente o futebol. Afinal, esporte no Brasil é sinônimo de futebol. Talvez este seja o grande problema que os profissionais do ramo esportivo enfrentam. A limitação para escreverem sobre outros esportes brasileiros, salvo quando surge algum atleta em destaque” escreve Daniela Toledo comentando o livro “Jornalismo Esportivo” do jornalista Paulo Vinícius Coelho no website Canal da Imprensa.

O jornalismo esportivo tem também uma outra complicação, senão a principal: a parcialidade. Muitos jornalistas não conseguem separar o pessoal do profissional e acabam sendo parciais em favor de determinado clube ou esporte em detrimento a outro. Para o eterno Armando Nogueira o jornalista deve sim ter um time de coração, pois só assim para compreender a paixão do leitor pelo futebol. Além de que o jornalismo já há algum tempo não é considerado tanto como informação e sim como entretenimento. Existe também o chamado “jornalismo-bandeira” que eleva nossas seleções e combinados ao status de nações. Heródoto Barbeiro e Patrícia Rangel descreveram no livro “Manual do Jornalismo Esportivo” o “jornalismo-bandeira” como “grande o perigo de um comprometimento de credibilidade”.

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: