jump to navigation

Rio 2016: furada ou o despertar para um novo Brasil? 05/10/2009

Posted by André Roedel in Uncategorized.
Tags: , ,
add a comment

Certa vez, lendo uma história em quadrinhos, me deparei com uma frase que no início do século parecia piada: o Brasil será uma grande potência em uns 10 ou 15 anos. O que parecia uma grande brincadeira, hoje pode se tornar verdade. Nosso país tem um governo disposto a ajudar quem precisa (não, não sou militante de Lula), uma economia saudável, quilômetros de bacias petrolíferas, e a confiança de uma das organizações mais respeitadas do mundo, que é o Comitê Olimpíco Internacional (COI).

Sediar uma edição dos Jogos Olimpícos não é tarefa para qualquer país (ou cidade, no caso). O Brasil precisa estar muito bem preparado para ter tamanha responsabilidade em mãos. Sediar os Jogos se mostrou algo simbolico na reestruturação de um povo. Como exemplos temos a Coréia do Sul (Seul 1988) que se reergueu após guerras com sua vizinha, a Coréia do Norte, e hoje é uma das maiores forças econômicas do mundo. Outro país que mostrou sua força sediando as Olimpíadas foi a China (Beijing 2008). Ao sediar os jogos, o grande país asiático demonstrou toda sua força e se consolidou rumo a uma hegemonia financeira.

Claro que essa conquista não é apenas maravilhas. Vamos ter que conviver com obras superfaturadas e sem licitações (aquelas “obras emergênciais”) até o início da competição. Muitas das instalações olimpícas serão elefantes brancos, que nunca mais serão usadas. Já tivemos essa experiência com o Pan 2007 e estamos em vias de fato para que, em 2016, tudo isso se repita. Cabe a nós, povo brasileiro, pensar muito bem nas próximas eleições em que votar, pois serão eles que administrarão todo o dinheiro investido para os Jogos. E não só esse dinheiro, vale ressaltar.